Número Zero: Um manual de antijornalismo

Carlos Garcia O jornal Amanhã foi planejado para nunca ser publicado. Seriam produzidas apenas edições pilotos, o chamado número zero. No caso, os números zeros, no plural. Era para ser 12, o 0/01, 0/02, 0/03 e assim por diante. Mas não faz sentido planejar um jornal para não publicá-lo. Por … Continue lendo

Tãn Tãngo: Prelúdio de Família

Thiago Suman Hique é ponte que nos leva num corredor sobre águas. Sim, flutuar sobre a densidade transparente e remota de um espelho líquido é a sensação de quem sorveu o Tãn Tãngo no Theatro São Pedro! Saímos com pés e o espírito alagados! É impressionante a forma como o … Continue lendo

Cinco cidades fictícias da literatura do RS

Carlos Garcia A chuvarada que caiu sobre Porto Alegre nos últimos dias me fez lembrar Macondo. Na cidade criada por Gabriel Garcia Marquez, em Cem anos de solidão, choveu durante quatro anos, onze meses e dois dias. Imaginem, que água! Claro que Porto Alegre não chegou a esse ponto. Mas … Continue lendo

Terra e Plutão: a importância de uma fotografia

foto de plutão capturada pela sonda new horizon em julho de 2015

Caio de Carvalho Proença Quando o homem pisou na Lua, em 1969, e quando apenas orbitou pela Lua em 1968, várias fotografias da Terra foram feitas utilizando a máquina de médio formato Hasselblad 500C. Essas fotografias seriam apresentadas ao mundo pela primeira vez em escala massiva e midiática, e seriam … Continue lendo

Por que Qorpo-Santo não participou do Partenon Literário?

Carlos Garcia Qorpo-Santo e o Partenon Literário são contemporâneos. O primeiro era escritor e produziu a maior parte da sua obra nas décadas de 1860 e 1870. O segundo era um grupo de intelectuais que incentivou a produção literária e o pensamento crítico. Foi fundado e atingiu o auge das … Continue lendo

Luiz Marenco e o Sul de todos nós

Thiago Suman O cantor e compositor Luiz Marenco nos apresentou, no dia 2 de junho, um Sul nunca antes visitado. Um Sul regional e sensitivo, evocando os menestréis da campanha do pampa, reverenciando os bardos gaudérios de outrora, a ritualizar a encarnação do passado, embora com os pés no presente … Continue lendo

3 x The Fall

Fabrício Silveira Mark E. Smith não envelheceu como um astro do rock. Envelheceu como um trabalhador comum, numa família suburbana. O modo como se veste tem um aspecto atemporal. É anacrônico. O corte de cabelo, os fortes sulcos no rosto, o ar embriagado e o relógio de pulso lhe dão … Continue lendo

New Dawn Fades: uma peça sobre Joy Division

Fabrício Silveira New Dawn Fades não é uma grande produção teatral. Na verdade, é uma encenação modesta, quase simplória. Não há iluminação inventiva nem há efeitos ou recursos plásticos que saltem aos olhos. Não há elementos decorativos. Ao contrário, há um despojamento franciscano. É um espetáculo tímido. Nas laterais do … Continue lendo

Submissão ou liberdade

Carlos Garcia O livro Submissão, de Michel Houellebecq (Alfaguara, 2015), tem como pano de fundo a acensão imaginária de um partido muçulmano à presidência francesa no ano de 2022. Na semana do lançamento, o jornal satírico Charlie Hebdo publicou em sua capa uma charge do autor e sua sede sofreu … Continue lendo

Um show do Poison Idea em Manchester

Fabrício Silveira Quando cheguei, por volta das 19h, não havia mais do que trinta velhos punks, reunidos em pequenos grupos, ao redor das mesas, nas proximidades do balcão, no térreo do Star & Garter. O local é um pub antigo, numa esquina retirada de Fairfield Street, há alguns minutos do … Continue lendo