Demolidor e o lado sombrio da Marvel

Luiz Paulo Teló O sucesso da série Demolidor não é de graça. A primeira parceria entre estúdios Marvel e Netflix apresenta uma qualidade refinada, inserindo o personagem de forma sutil ao Universo Marvel já estabelecido no cinema e em outras séries, porém delimitando bem o ambiente urbano em que o Homem … Continue lendo

Chico Buarque e seu irmão alemão

Carlos Garcia O Irmão Alemão, de Chico Buarque, é uma ficção. O irmão alemão do Chico Buarque é real. Inspirado na busca verdadeira por encontrar seu irmão nascido na Alemanha, Chico forja uma realidade, nas páginas do livro, que retrata sua curiosidade e esperança em conhecer seu mano alemão. É … Continue lendo

Resenha: “Até que a Sbórnia nos Separe”

Luiz Paulo Teló Um dos verdadeiros ressentimentos que vou levar para o resto da vida é não ter ido ao teatro assistir ao espetáculo Tangos & Tragédias. Durante três décadas, praticamente, Hique Gomes e Nico Nicolaiewsky encenaram sua comédia musical nos palcos de Porto Alegre – e do Brasil. Por algum motivo … Continue lendo

Zaz e o beija-flor

Carlos Garcia Os primeiros instantes do show da cantora francesa Zaz, em Porto Alegre, foram tensos. Parecia que aquele vozeirão rouco ia falhar a qualquer momento. Não falhou nunca. E seu timbre que já é encantador no disco foi ainda mais encantador na apresentação ao vivo. Je veux, que é … Continue lendo

O voo noturno de Exupéry

Carlos Garcia Antoine de Saint Exupéry conheceu Porto Alegre. Isso lá pela década de vinte, muito antes de escrever o Pequeno Príncipe. Na capital, o francês era visto pelos cafés do centro e teria até se deliciado com um bom churrasco. Ele e seus colegas eram facilmente reconhecidos pelas jaquetas … Continue lendo

Resenha: “A Família Bélier”

Luiz Paulo Teló O cinema francês tem um charme especial. A começar pela fotografia, sempre muito marcante, passando pelo idioma, suave e agradável, até chegar nos atores, sempre uma grata surpresa. Nos últimos anos, dramédias competentíssimas produzidas na França têm chegado com força ao circuito comercial brasileiro, são casos como … Continue lendo

Resenha: “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)”

Luiz Paulo Teló O diretor mexicano Alejandro González Iñárritu dificilmente erra. A sua filmografia (21 Gramas, Babel, Biutiful) já é de admirável relevância ao cinema comercial produzido a partir dos anos 2000. Ganhador de categorias importantes do Oscar 2015, inclusive as de melhor filme e diretor, Birdman pode até não ser seu melhor … Continue lendo