Com brasileiro, Oscar divulga lista de 85 inscritos na categoria de melhor filme estrangeiro

pequeno segredo_oscar 2017_melhor filme estrangeiro

“Pequeno Segredo”, de David Shcurman é inspirado em fatos reais

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou, na terça-feira (11), os 85 filmes inscritos para tentar uma vaga na disputa de melhor filme em língua estrangeira no Oscar. A seleção final dos concorrentes será divulgada em 24 de janeiro do próximo ano. A 89ª edição da cerimônia de premiação acontece em 26 de fevereiro, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

O Brasil entrou na pré-lista com o longa Pequeno Segredo, de David Shcurman. O filme é inspirado em fatos reais e baseado no livro Pequeno segredo: A lição de vida de Kat para a família Schurmann (2012). Ainda sem ter estreado no circuito comercial, o drama desbancou o até então favorito Aquarius, de Kléber Mendonça Filho. Segundo membros  da comissão do Ministério da Cultura, que definiram a indicação, Pequeno Segredo atenderia a supostas preferências da Academia de Hollywood.

O Brasil já apareceu quatro vezes entre os cinco finalistas na categoria, porém nunca ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. A primeira indicação foi em 1963, com O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte. Depois disso, o fato voltou a se repetir apenas nos anos 90, com três longas. Em 1996 O Quatrilho, de Fábio Barreto, em 1998 O que é isso, companheiro?, de Bruno Barreto, e Central do Brasil, de Walter Salles, em 1999.

A lista

Dentre os 85 inscritos, entraram diretores consagrados, como Pedro Almodóvar, selecionado pela Espanha com Julieta, Paul Verhoeven, selecionado pela França com Elle, entre outros. Da América do Sul, concorrem também O Cidadão Ilustre, da Argentina, Neruda, do Chile, Alias María, da Colômbia e About Us, da Costa Rica. Confira a lista completa:

África do Sul – “Call me thief”, de Daryne Joshua
Albânia – “Chromium”, de Bujar Alimani
Alemanha – “Toni Erdmann”, de Maren Ade
Arábia Saudita – “Barakah meets Barakah”, de Mahmoud Sabbagh
Argélia – “The well”, de Lotfi Bouchouchi
Argentina – “El ciudadano ilustre”, de Mariano Cohn e Gastón Duprat
Austrália – “Tanna”, de Bentley Dean e Martin Butler
Áustria – “Stefan Zweig: Farewell to Europe”, de Maria Schrader
Bangladesh – “The unnamed”, de Tauquir Ahmed
Bélgica – “The Ardennes”, de Robin Pront
Bolívia – “Sealed Cargo”, de Julia Vargas Weise
Bósnia-Herzegovina – “Death in Sarajevo”, de Danis Tanovic
Brasil – “Pequeno segredo”, de David Schurmann
Bulgária – “Losers”, de Ivaylo Hristov
Camboja – “Before the fall”, de Ian White
Canadá – “Just la fin du monde”, de Xavier Dolan
Cazaquistão – “Amanat”, de Satybaldy Narymbetov
Chile – “Neruda”, de Pablo Larraín
China – “Xuan Zang”, de Huo Jianqi
Cingapura – “Apprentice”, de Boo Junfeng
Colômbia – “Alias Maria”, de José Luis Rugeles
Coreia do Sul – “The age of shadows”, de Kim Jee-woon
Costa Rica – “About us”, de Hernán Jiménez
Croácia – “On the other side”, de Zrinko Ogresta
Cuba – “El acompañante”, de Pavel Giroud
Dinamarca – “Land of mine”, de Martin Zandvliet
Equador – “Sin muertos no hay carnaval”, de Sebastián Cordero
Egito – “Clash”, de Mohamed Diab
Eslováquia – “Eva Nová”, de Marko Skop
Eslovênia – “Houston, we have a problem!”, de Žiga Virc
Espanha – “Julieta”, de Pedro Almodóvar
Estônia – “Mother”, de Kadri Kõusaar
Finlândia – “The happiest day in the life of Olli Mäki”, de Juho Kuosmanen
França – “Elle”, de Paul Verhoeven
Geórgia – “House of others”, de Rusudan Glurjidze
Grécia – “Chevalier”, de Athina Rachel Tsangari
Holanda – “Tonio”, de Paula van der Oest
Hong Kong – “Port of Call”, de Philip Yung
Hungria – “Kills on wheels”, de Attila Till
Iêmen – “I am Nojoom, age 10 and divorced”, de Khadija Al-Salami
Islândia – “Sparrows”, de Rúnar Rúnarsson
Índia – “Interrogation”, de Vetri Maaran
Indonésia – “Letters from Prague”, de Angga Dwimas Sasongko
Irã – “The salesman”, de Asghar Farhadi
Iraque – “El clásico”, de Halkawt Mustafa
Israel – “Sand storm”, de Elite Zexer
Itália – “Fogo no mar”, de Gianfranco Rosi
Japão – “Nagasaki: Memories of my son”, de Yoji Yamada
Jordânia – “3000 nights”, de Mai Masri
Kosovo – “Home sweet home”, de Faton Bajraktari
Letônia – “Dawn”, de Laila Pakalnina
Líbano – “Very big shot”, de Mir-Jean Bou Chaaya
Lituânia – “Seneca’s day”, de Kristijonas Vildziunas
Luxemburgo – “Voices from Chernobyl”, de Pol Cruchten
Macedônia – “The liberation of Skopje”, de Rade Šerbedžija e Danilo Šerbedžija
Malásia – “Beautiful pain”, de Tunku Mona Riza
México – “Desierto”, de Jonás Cuarón
Montenegro – “The black pin”, de Ivan Marinović
Marrocos – “A mile in my shoes”, de Said Khallaf
Nepal – “The black hen”, de Min Bahadur Bham
Nova Zelândia – “A flickering truth”, de Pietra Brettkelly
Noruega – “The king’s choice”, de Erik Poppe
Paquistão – “Mah-e-Mir”, de Anjum Shahzad
Palestina – “The idol”, de Hany Abu-Assad
Panamá – “Salsipuedes”, de Ricardo Aguilar Navarro e Manolito Rodríguez
Peru – “Videofilia: y otros síndromes virales”, de Juan Daniel F. Molero
Filipinas – “Ma’ Rosa”, de Brillante Mendoza
Polônia – “Afterimage”, de Andrzej Wajda
Portugal – “Cartas da guerra”, de Ivo M. Ferreira
Quirguistão – “A father’s will”, de Bakyt Mukul e Dastan Zhapar Uulu
Reino Unido – “Under the shadow”, de Babak Anvari
República Dominicana – “Sugar fields”, de Fernando Báez
República Tcheca – “Lost in Munich”, de Petr Zelenka
Romênia – “Sieranevada”, de Cristi Puiu
Rússia – “Paraíso”, de Andrei Konchalovsky
Sérvia – “Train driver’s diary”, de Milos Radovic
Suécia – “A man called Ove”, de Hannes Holm
Suíça – “My life as a Zucchini”, de Claude Barras
Taiwan – “Hang in there, kids!”, de Laha Mebow
Tailândia – “Karma”, de Kanittha Kwunyoo
Turquia – “Cold of Kalandar”, de Mustafa Kara
Ucrânia – “Ukrainian sheriffs”, de Roman Bondarchuk
Uruguai – “Migas de pan” de Manane Rodríguez
Venezuela – “De longe te observo”, de Lorenzo Vigas
Vietnã – “Yellow flowers on the green grass”, de Victor Vu

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>