Filme de Eduardo Coutinho em cartaz na sala P. F. Gastal

Eduardo coutinho ultimas conversas

Entre terça e domingo, 14, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro reserva dois horários para o documentário Últimas Conversas, de Eduardo Coutinho. A primeira sessão é às 15h e a segunda às 19h30. O valor do ingresso é R$ 8,00. Também estarão em cartaz o documentário No Meio do Rio, Entre as Árvores, de Jorge Bodanzky, e a ficção alemã Top Girl ou a Deformação Profissional, de Tatjana Turanskyj.

Considerado um dos documentaristas mais importantes do cinema mundial, Coutinho teve uma morte trágica, em fevereiro de 2014, assassinado a facadas pelo próprio filho, que sofre de esquizofrenia. Diretor de filmes marcantes, como Cabra Marcado para Morrer (1984), Edifício Master (2002) e Jogo de Cena (2007), o cineasta morreu antes de finalizar Últimas Conversas. No filme, Coutinho entrevista diversos estudantes do ensino médio público no Rio de Janeiro, perguntando sobre suas vidas atuais e expectativas para o futuro.

Após a morte do diretor, o projeto foi assumido por João Moreira Salles, diretor e produtor da VideoFilmes, e pela montadora Jordana Berg. Os dois trabalharam junto com o documentaristas em boa parte de sua filmografia. Últimas Conversas foi exibido no 20º Festival “É Tudo Verdade”, abrindo as edições de São Paulo e Rio de Janeiro, no último mês de abril. Foram filmados aproximadamente 30 jovens dos 250 inicialmente pesquisados. O material bruto tem 32 horas.

Programação (9 a 14 de junho)

15h – Últimas Conversas
16h30 – No Meio do Rio, Entre as Árvores
17h45 – Top Girl ou a Deformação Profissional
19h30 – Últimas Conversas

Top Girl ou a Deformação Profissional – Filme alemão da diretora Tatjana Turanskyj. O drama narra a relação conflituosa  relação de uma atriz com sua família e seu envolvimento com a industria do sexo. Lançado ano passado, tem 95 minutos de duração e classificação indicativa de 18 anos. É o segundo trabalho de uma trilogia da cineasta sobre a mulher e o trabalho.

No Meio do Rio, Entre as Árvores – Documentário de 2010 do diretor paulistano Jorge Bodanzky. O filme mostra como moradores de comunidades afastadas da Amazônia registram seu próprio cotidiano após participares de oficinas de vídeo e fotografia. A classificação indicativa é livre. O realizador já trabalhou ao lado de Hector Babenco, Antunes Filho, Maurice Capovilla, José Agripino de Paula, Reinhard Kahn e João Batista Andrade, entre outros. Seu longa mais conhecido e premiado, Iracema, Uma Transa Amazônica (1975), foi censurado por seis anos no Brasil.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *