João Rosa | Obrigado, Espaço Vídeo

(foto: CLAITON DORNELLES/Jornal do Comércio)

Por João Rosa

Nunca tirei nenhuma foto na Espaço Vídeo. Até porque, nos meus áureos tempos de locação de filmes e games, nossa única câmera era uma Yashica de 36 poses. Capaz que íamos ficar gastando registros à toa assim. Talvez até proibissem naqueles tempos. Hoje em dia, com os celulares, tudo é mais fácil.

Também não tive como guardar nenhum comprovante de aluguel de filmes ou jogos. Como muitos sabem, a impressão em notas fiscais se desaparecem ao longo do tempo – se bem que tenho até hoje a NF do meu primeiro filme em locadora, há exatos 20 anos.

Por mais que frequentasse desde os anos 90, foi desde a minha primeira assinatura, dada em 16/02/2001, na loja dois, localizada no Auxiliadora, onde morava na época, que a Espaço Vídeo marcou minha vida. Era o dependente da minha tia Rô e a carteirinha eu guardei.

Eu tinha um Sega na época. Gostava muito de ir na Espaço e alugar games como True Lies, Batman Forever, etc. Até alugava outras coisas, mas os que me vêm na memória agora são estes. Filmes a gente alugava quando nosso vídeo cassete estava funcionando – coisa rara.

O cheiro delicioso da Espaço e sua imensa variedades de filmes, shows, documentários, séries e jogos de vídeo-game, era e sempre foi louvável. Em 2002, o melhor dos anos de minha vida, muito por causa do Penta e porque rumei para ser feliz noutra cidade, deixei de alugar e frequentar a Espaço da 24 de outubro.

Sete anos depois retornei e visitei a locadora, agora já localizada na esquina da 24 com a Nova York. “Nossa, a quantidade de filmes triplicou!”, disparei na oportunidade. Compreensível. Naquela época que era criança, a empresa mal trabalhava com DVDs. Blu-Rays ainda nem existiam. Então em 2009 comprei uma coleção em DVD dos melhores filmes do Jack Nicholson, um dos meus atores prediletos. Saí de lá feliz da vida.

Alguns anos depois tentei retornar a loja da 24, mas tinha fechado – um presságio. Então conheci uma maravilha chamada A Espaço Vídeo da Vasco. “Meu Deus, é o quíntuplo de filmes da 24”, disse enlouquecido. Uma variedade absurda incluindo muitos clássicos. Foi na loja da Vasco da Gama com a Fernandes Vieira que realizei um sonho materialista antigo de comprar todos os sete filmes do Batman por apenas 150 reais. Depois que conheci a Espaço da Vasco, retornei inúmeras vezes, sendo para alugar filmes para festas que produzia, presentear amigos ou até mesmo aumentar minha coleção – amo.

Daqui um mês a melhor e mais antiga locadora de filmes e afins de Porto Alegre fechará as portas e deixará saudades para muitos usuários saudosistas, principalmente aos moradores do Bom Fim, que tinham o local como uma espécie de ponto de referência da região.

Hoje em dia os filmes por demanda, assim como a Netflix e os torrents tomaram conta da indústria e deixou fraco o mercado de compra e aluguel de inúmeras locadoras da cidade, do estado e do pais. Fico com pena da futura geração que nunca saberá a magia de entrar num local com cheiro de películas e dos velhinhos que ainda não sabem mexer na internet e tinham a locadora da Vasco como uma válvula de escape para seus lazeres domésticos.

O tamanho do Espaço vazio que a locadora deixará será grande nesta cidade cada vez mais sem graça.

Obrigado, Espaço Vídeo.

João Rosa é jornalista e produtor cultural, tem 27 anos e é apaixonado por cinema. Em 2017, trabalhou na cobertura do Festival de Cinema em Gramado para o Culturíssima e neste ano assinou uma série de textos especiais sobre os filmes indicados ao Oscar 2018. Leia AQUI outros textos.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • 28 DE MARÇO NOS CINEMAS