Resenhas Oscar 2019 | Roma

“Roma”, filme da Netflix dirigido de Alfonso Cuaron, um dos favoritos ao Oscar 2019.

Por João Rosa para o Especial Oscar 2019

Uma confortável casa de dois pisos habita uma família grande, composta por sete pessoas, incluindo um pai de família, que vive viajando a trabalho e um agitado cão. Aos fundos, num pequeno cubículo, moram duas empregadas, que servem uma família de classe média moradora do bairro Roma, na Cidade do México. Qualquer semelhança com o longa nacional Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, não é mera coincidência.

Roma, uma produção original Netflix, do premiado diretor mexicano Alfonso Cuarón (Gravidade), nos leva a imergir dentro da rotina dessas pessoas normais, principalmente na vida da doméstica Cleo (Yalitza Aparicio), uma jovem competente nas tarefas do lar, porém muito tímida. Na longa trama de 135 minutos filmada em preto e branco, a personagem é o centro da história.

Seja lavando a roupa no terraço, passando um café para os patrões ou buscando as crianças na escola, a vida de Cleo muda completamente após conhecer Fermín (Jorge Antonio Guerrero), um jovem um tanto quanto esquisito e obcecado pelo seu treinamento em artes marciais.

Cuarón nos brinda com planos sequência e ângulos espetaculares, que mostram toda a delicadeza de Cleo e o drama da família, que sofre com a constante ausência de Antonio (Fernando Grediaga), marido de Sofia (Marina de Tavira) e pais das quatro crianças da casa. Delicado e simplista, a película do cineasta não inova, mas traz uma história rica em detalhes, com um design de produção minucioso, uma fotografia maravilhosa e com uma cena de parto impressionantemente forte e comovente.

Distribuída pelo pelo serviço de estreaming por assinatura, Roma tem 10 indicações ao Oscar 2019 e é forte candidato a ser o papa estatuetas na cerimônia do próximo dia 24 de fevereiro.

Nota: 8.1

Concorre nas categorias: Melhor Filme, Filme Estrangeiro, Diretor, Atriz, Atriz Coadjuvante, Roteiro Original, Edição de Som, Mixagem de Som, Direção de Arte e Fotografia.

Prováveis estatuetas: Melhor Filme Estrangeiro, Direção de Arte e Fotografia.

João Rosa é jornalista e produtor cultural, tem 28 anos e é apaixonado por cinema. Em 2017, trabalhou na cobertura do Festival de Cinema em Gramado para o Culturíssima e novamente assina a série de textos especiais sobre os filmes indicados ao Oscar 2019.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *