Porto Alegre recebe Festival de Cinema Acessível

Atualizado 07/05/2015 às 13:23

As sextas-feiras dos meses de maio e junho da Sala Paulo Amorim da Casa de Cultura Mário Quintana serão dedicadas ao Festival de Cinema Acessível. Ao longo da programação pessoas com e sem deficiência poderão assistir de graça diversos títulos do cinema nacional em Porto Alegre. A primeira sessão é nesta sexta-feira, 8, às 19h30, com o filme O Homem que Copiava, de Jorge Furtado.

homem que copiava com legenda e libras para cegos e surdos

Cena de “O Homem que Copiava”

O Festival de Cinema Acessível é uma iniciativa do estúdio Som da Luz, uma empresa especializada em audiodescrição, com o apoio do Ministério da Cultura e do Banrisul, para levar obras cinematográficas importantes a pessoas com deficiência. Além de O Homem que Copiava, os filmes selecionados para o Festival, que receberam audiodescrição, janelas com tradução de libras e legendas, foram: O Tempo e o Vento, de Jayme Monjardim, Saneamento Básico, O Filme, de Jorge Furtado e 2 Filhos de Francisco, de Breno Silveira.

O processo

A audiodescrição dos filmes selecionados foi feita em mais de mil horas no Estúdio Som da Luz. O processo incluiu roteirização, interpretação e edição para a correta inserção da audiodescrição sem modificar a fluência do filme. Para o Festival de Cinema Acessível, o objetivo é descrever todas as informações básicas para o entendimento do filme que não estão inclusas nos diálogos. Tudo com a supervisão de um consultor cego que atesta o entendimento do roteiro e da narração.

O trabalho de inserção de LIBRAS contou com a consultoria da Desenvolver, empresa também dedicada à inclusão. A tradução para LIBRAS pode ser feita apenas para as falas dos personagens ou estender-se para a interpretação de outros detalhes musicais e sonoros. Em alguns casos foram necessários mais de um intérprete para traduzir efetivamente a emoção contida nos filmes selecionados para o Festival de Cinema Acessível.

Talvez o recurso de acessibilidade audiovisual mais conhecido seja a subtitulação. Apesar de termos o Close Caption ao alcance do dedo na TV há mais de uma década, o que poucos de nós sabemos é que o processo requer três profissionais. A inserção de legendas que inclui a transcrição de elementos não-verbais e sonoros feita para o Festival de Cinema Acessível demanda um profissional transcritor, que faz tudo segundo normas da ABNT, um revisor e um editor de imagem, que é quem irá de fato sincronizar legendas e vídeo.

O Festival de Cinema Acessível aguarda patrocinadores para futuramente colocar em cartaz também: Se eu fosse você, O Palhaço, Tropa de Elite 1 e 2, Jogo de Cena, Xingu e Quando eu era vivo.

Programação

8 de maio: O Homem que Copiava (2003)

22 de maio: Saneamento Básico, O Filme (2007)

5 de junho: O Tempo e o Vento (2013)

19 de junho: 2 filhos de Francisco (2005)

Sempre às sextas-feiras às 19h30, na Cinemateca Paulo Amorim da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro – Porto Alegre/RS). Entrada franca. Reservas podem ser feitas pelo e-mail: festivalcinemaacessivel@gmail.com

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • 28 DE MARÇO NOS CINEMAS