Por que Qorpo-Santo não participou do Partenon Literário?

Carlos Garcia Qorpo-Santo e o Partenon Literário são contemporâneos. O primeiro era escritor e produziu a maior parte da sua obra nas décadas de 1860 e 1870. O segundo era um grupo de intelectuais que incentivou a produção literária e o pensamento crítico. Foi fundado e atingiu o auge das … Continue lendo

Submissão ou liberdade

Carlos Garcia O livro Submissão, de Michel Houellebecq (Alfaguara, 2015), tem como pano de fundo a acensão imaginária de um partido muçulmano à presidência francesa no ano de 2022. Na semana do lançamento, o jornal satírico Charlie Hebdo publicou em sua capa uma charge do autor e sua sede sofreu … Continue lendo

O jardim dos poetas provincianos

Carlos Garcia No início do Século 20, um canto de Porto Alegre foi tomado por um grupo de intelectuais gaúchos. O local, chamado de Praça da Harmonia, era o ponto de encontro preferido de escritores como Alceu Wamosy, Eduardo Guimarães e Alcides Maya. Mas, no imaginário do povo, o local … Continue lendo

O bairro de Lupicínio

Carlos Garcia A Ilhota agora é um bairro. Isso mesmo, a antiga ilhota onde nasceu e viveu Lupicínio Rodrigues é oficialmente um bairro de Porto Alegre. A lei foi publicada, esta semana, no Diário Oficial. Um naco de terra foi suprimido do Menino Deus para dar origem ao novo arrabalde, … Continue lendo

Chico Buarque e seu irmão alemão

Carlos Garcia O Irmão Alemão, de Chico Buarque, é uma ficção. O irmão alemão do Chico Buarque é real. Inspirado na busca verdadeira por encontrar seu irmão nascido na Alemanha, Chico forja uma realidade, nas páginas do livro, que retrata sua curiosidade e esperança em conhecer seu mano alemão. É … Continue lendo

Zaz e o beija-flor

Carlos Garcia Os primeiros instantes do show da cantora francesa Zaz, em Porto Alegre, foram tensos. Parecia que aquele vozeirão rouco ia falhar a qualquer momento. Não falhou nunca. E seu timbre que já é encantador no disco foi ainda mais encantador na apresentação ao vivo. Je veux, que é … Continue lendo

O voo noturno de Exupéry

Carlos Garcia Antoine de Saint Exupéry conheceu Porto Alegre. Isso lá pela década de vinte, muito antes de escrever o Pequeno Príncipe. Na capital, o francês era visto pelos cafés do centro e teria até se deliciado com um bom churrasco. Ele e seus colegas eram facilmente reconhecidos pelas jaquetas … Continue lendo